skip to Main Content

Prestação de serviços é alternativa para evolução do mercado de trabalho

Desde a Revolução Industrial, entre o final do século XVIII e início do século XIX e com o desenvolvimento da tecnologia durante todo século XX até os dias de hoje, vários profissionais tiveram que se adaptar à nova realidade do mercado ou precisaram partir em busca de outro ofício. Todo este processo causa o desaparecimento de várias profissões, que ficam obsoletas.  

Um exemplo emblemático é o datilógrafo. Com a popularização da informática ou o datilógrafo se reinventava como digitador e guardava a sua máquina de escrever ou o jeito era procurar outra coisa pra fazer.

Processo permanente

Este processo permanente de evolução da tecnologia que obriga uma profissão se adaptar ou até ser extinta. Quais serão as próximas profissões a desapareceram por conta do avanço da inteligência artificial?

A revista “Exame” fez um levantamento com empresas especialistas no assunto onde mostra as 10 profissões que tendem a desaparecer. Entre elas está a de Headhunter e recrutador (RH). Mas Calma! Me solidarizo com você. Na lista também estão as profissões de jornalista e repórter. O que fazer? Ao final do artigo você terá a resposta.  

O modelo de trabalho também muda

Não são só as profissões que passam por uma metamorfose. O modelo de trabalho e prestação de serviços também. Inclusive a legislação que rege as regras trabalhistas também sofre esse processo permanente de evolução.

Recentemente aconteceu a reforma trabalhista que flexibilizou em alguns pontos a relação entre empregado e empregador (ou contratante e contratado). A terceirização ganhou força e o home-office e parcerias firmadas também aumentaram.

Mas fica a pergunta. Será que vale a pena trabalhar por prestação de serviços e parcerias?

Os prós e contras

Existem prós e contras na prestação de serviços e parcerias. Contra podemos dizer que a legislação ainda é muito nova e não muito clara no tocante à responsabilidade. Não sendo celetista (trabalhar contratado amparado pela Consolidação da Lei do Trabalho) o trabalhador terá que fazer um planejamento a longo prazo para calcular seus ganhos mensais e anuais, pois não terá mais um salário fixo e com o mesmo valor todos os meses.

O faturamento vai depender da demanda de serviços e também do êxito da parceria.

Um dos prós é a liberdade de negociação sem a burocracia de determinados trechos da lei. Também a possibilidade do profissional criar metas de faturamento. Outro benefício é alternativa do especialista poder, em muitos casos, montar o seu home-office.

Algumas profissões já estão partindo para este modelo de trabalho, como a comunicação, por exemplo. Uma empresa em vez de contratar um funcionário fixo celetista e ter que arcar com todos os os encargos trabalhistas, faz um contrato PJ (pessoa jurídica) com este mesmo funcionário que pode fazer o trabalho da casa dele. Assim os dois saem ganhando.

Pessoa Jurídica

Este tipo de profissional cresce a cada dia. Principalmente por conta da facilidade de ser MEI (Micro Empreendedor Individual). O processo para se tornar um MEI é muito prático. Basta entrar no Portal do Empreendedor e seguir os passos. Em cinco minuto você tem o seu CNPJ nas mãos. No Portal você encontrar as regras e limitações que um MEI está sujeito.

O que fazer se minha profissão desaparecer?

Fazer a mesma coisa que o datilógrafo teve que fazer. Adaptar-se à nova realidade. O Headhunter e recrutador (RH) terá que se qualificar em automação digital. A razão que especialistas apontam para a morte do atual Headhunter e recrutador (RH) é o Google, por exemplo. Ou o Facebook. Acredite!

Com todas as informações detalhadas sobre cada usuário, a inteligência artificial poderá fazer o trabalho de recrutar uma pessoa com o exato perfil para a realização daquele trabalho. Este, com certeza, será por prestação de serviço. Os freelancers já são uma espécie desse modelo. Mas como todos os algoritmos e otimização escaneadas pelos robôs do Google, por exemplo, o êxito na contratação do profissional será de quase 100%.

Um recado para Headhunter e recrutador (RH). É “de lei” ficar ligado nas novidades e avanços da profissão. Uma dica é o blog RH do Futuro. Neste espaço você encontra as últimas novidades da área, além de ter acesso a materiais que vão turbinar a sua carreira.

Não perca tempo. Acesse aqui o blog RH do Futuro e coloque nos seus favoritos. Assim você não ficará para trás e ser pego de surpresa com as inovações do mercado.

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendado só para você!
O mercado de profissionais da área de recursos humanos apresenta…
Cresta Posts Box by CP